Buscar

O luto nas perdas perinatais

Atualizado: Set 5

Dentre as vicissitudes do período perinatal, as perdas de bebês, independente da semana de gestação, dos dias de vida ou da razão por que acontecem, são as mais insólitas e difíceis de enfrentar.

Entretanto, este é um assunto que não pode ser negado, pois muitos pais passam por esta indesejada situação. Familiares e amigos sugerem nova gravidez ou que “esqueçam” o assunto por um tempo, não abrindo espaço para a palavra e o choro de quem está em luto.

      Sim, luto. Pois mesmo não tendo a oportunidade de conviver com esta criança perdida, os pais, principalmente a mãe que a tinha dentro de si, já tinha um vínculo e imaginava uma vida com seu bebê.

Quando a realidade se impõe e a criança morre antes de nascer ou horas ou dias após o nascimento, interrompe-se abruptamente uma trajetória, às vezes temida, mas desejada rumo à experiência da maternidade e paternidade.

      A forma como cada pai e mãe vai sentir esta perda pode diferir de acordo com muitas variáveis e configurações emocionais da história de vida dos pais. Porém, os sentimentos são intensos e difíceis de suportar como em todo processo de luto. Especificamente no luto perinatal, podem surgir tristeza, revolta e culpa.; desejo temporário de engravidar imediatamente outra vez ou de não mais engravidar.

      O importante é que a mãe, o pai e os familiares permitam-se falar sobre o assunto e chorar suas dores, sem sufocá-las ou negá-las, pois quando isto não acontece o luto pode se tornar mais intenso e duradouro. Deve haver um tempo próprio para os pais guardarem as roupas destinadas ao bebê, o carrinho, o berço.

      Deve haver um tempo para os pais desmancharem o espaço que seria do bebê. Deve haver tempo para assimilar a realidade da perda e elaborar o luto deste filho. O próximo, se vier, será outro e o que foi perdido terá sempre espaço na vida e no psiquismo desta família.

      Caso isto não aconteça e os sintomas de luto e tristeza se tornem depressão, os pais podem pedir ajuda psicológica especializada.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo